Glossário da logística: entenda os principais termos do setor e seus significados

A logística é uma área de atuação cheia de termos (algumas vezes em inglês) e siglas.

Ela possui uma linguagem própria que para quem não está inteirado sobre o assunto ou trabalha ativamente nesse meio, acaba despertando algumas dúvidas. É importante conhecer os significados para compreender melhor a logística.

Pensando em uma forma de esclarecer e saciar sua curiosidade sobre essas palavras, vamos mostrar que o conceito de cada uma é mais simples do que você imagina.

Acompanhe logo abaixo o glossário da logística que será atualizado quinzenalmente aqui em nosso Blog!

Observação: não encontrou algum termo? Não se preocupe, esse material será atualizado semanalmente. 

Quer nos enviar algum termo para ser inserido? Mande sua sugestão para: mktrackage@gmail.com


Menu de navegação

A B C D E FGLMTWY


A

Abastecimento

É um canal de distribuição sem intermediários entre o produtor e o consumidor final. As responsabilidades que geralmente são passadas ao consumidor, aqui ficam por parte do produtor.

ABC

Sigla utilizada para referenciar o Custeio Baseado em Atividades. É um método de rastreio utilizado para saber de onde e como as empresas obtêm seus lucros e como suas atividades estão relacionadas à receita.

Acondicionamento

É um processo em que o objetivo é preparar as mercadorias para a estocagem, armazenamento e transporte. 

A embalagem, a forma de envio e as características do produto são analisadas com cuidado para acomodá-lo de uma forma que a mercadoria chegue até o cliente sem qualquer problema.

Ad Valorem

Também conhecido como taxa ou imposto de frete, é um tributo cobrado dentro da tabela de fretes que representa o custo de seguro da carga. 

Essa taxa pode variar bastante conforme algumas regras pré-estabelecidas:

  • Distância percorrida
  • Peso do produto
  • Características da rodovia
  • Necessidade de manuseio

A Associação Nacional de Transporte de Carga (NTC) criou uma tabela com uma sugestão de alíquotas baseadas na distância percorrida (embora seja de 2014, essa tabela ainda é utilizada):

DistânciaAlíquota
1 a 250 km0,30 %
251 a 500 km  0,40 %
501 a 1.000 km  0,60 %
1.001 a 1.500 km 0,70 %
1.501 a 2.000 km0,80 %
2.601 a 3.000 km1,00 %
3.001 a 3.400 km 1,10 %
acima de 3.400 km  1,20 %


Coleta e entrega
0,15 %

Agente de carga

Também conhecido como Transitário, é a pessoa ou entidade que presta serviços no transporte internacional de mercadorias. Agem como mediadores nas operações de transporte internacional de todos os modos de transporte.  

Área de quebra

Dentro do armazém existe a chamada área de quebra, onde os produtos, materiais e embalagens recebidos são desembalados, separados, classificados e até mesmo reembalados dependendo do interesse de armazenamento da empresa, ou para se adequar melhor ao sistema. Geralmente essa área fica próxima à entrada.

Área de expedição

Dentro do armazém, temos também a área de expedição, esse espaço fica bem próximo às rampas e plataformas de carregamento.

Nele, os materiais serão pré-separados e passarão por uma conferência, com o objetivo de tornar a operação de carregamento mais rápida. 

Armazém

É um espaço físico, geralmente dentro de um galpão, onde são armazenados materiais para confecção do produto, produto inacabado ou a versão já pronta do produto.

Nesse espaço ocorre recebimento de mercadorias, organização e também a expedição para a etapa de distribuição correspondente.

Assemble-to-order

Modelo de fabricação onde os produtos são produzidos sob demanda e pedidos dos clientes. 

Assemble-to-stock

Diferente do modelo Assemble-to-order, aqui os produtos são fabricados para estocagem, sem a necessidade de demanda. Eles são produzidos tendo como base as previsões de vendas.

Ativo

Todos os bens e direitos de propriedade de uma empresa, pessoa individual ou pessoa coletiva, que podem ser calculados e representam benefícios presentes ou futuros para a empresa.

Auditoria

Procedimento de análise e exame, para ver se a empresa está com suas atividades de acordo com as metas estabelecidas e com a legislação referente.


B

B2B

Sigla utilizada para Business-to-business (Empresa-para-empresa). É a denominação do comércio entre empresas (seja de produtos ou serviços).

B2C

Sigla utilizada para Business-to-consumer (Empresa-para-cliente). Diferente da B2B, é utilizada para classificar o comércio da empresa diretamente com o cliente (pessoa física). A principal diferença entre B2B e B2C está em quem adquire o produto.

Backoffice

Qualquer departamento que não tenha contato direto com o consumidor final. Geralmente se trata dos setores financeiros e administrativos de uma empresa.

Backstage

Local da fábrica ou armazém, onde o estoque é mantido.

Benchmarking

É um processo de estudo de concorrência, onde é analisado o mercado de atividades da empresa, os melhores na área e disso, é feito um plano de melhorias nas operações da empresa. 

Esses planos geralmente tem como objetivo aumentar produtividade, diminuir custos e aumentar a receita.

BI

Sigla usada para Business Intelligence ou também conhecido como inteligência de negócios, ou inteligência empresarial. É um processo de coleta, pesquisa, análise, compartilhamento e monitoramento de informações e dados coletados.

Isso dá suporte para diversas tomadas de decisão estratégicas dentro da empresa. 

Bi-trem

É a junção de dois modelos de semi-reboque (a parte da carga que vemos nas carretas, chamada por muitas pessoas de “baú”), unidos pelo que chamamos de “quinta roda” entre eles.

A quinta roda é uma peça fundamental que ajuda a unir os dois semi-reboques e fica localizada na parte de trás do caminhão/carreta.

O termo mais correto para classificar um bitrem é carreta, pois é um veículo de grande porte articulado, com mais eixos e alta capacidade de carga.

Blocagem ou Block Stacking

No sistema de armazenamento Blocado, ou Block-Stacking, as cargas dos paletes são empilhadas uma em cima da outra sem a utilização de estantes para isso. Uma das grandes razões para fazer uso desse método é a economia de espaço e o baixo custo.

Ainda assim, é necessário avaliar que tipo de mercadoria usará esse sistema de armazenagem, pois é preciso ter certeza de que o produto é forte suficiente para aguentar (aqueles que estão na parte mais baixa da pilha) o peso dos demais sem romper ou causar acidentes.

Block Chain

O Blockchain é tido como uma base de dados distribuída que guarda um registro de informações à prova de violações e de forma descentralizada.

A tecnologia é ideal para evitar a perda de dados importantes, pois com a rede descentralizada, se um servidor deixa a rede, não existe um ponto de falha único.

Dessa forma, várias cópias daqueles dados já foram armazenadas em outros locais, tornando a perda de informações algo impossível. 

Brainstorming

Traduzindo de forma – muito – literal, seria algo como uma tempestade de ideias. Não está muito longe disso, já que consiste em uma reunião com pessoas de uma determinada área que, juntas, podem contribuir sem censura ou limitações para criar algo. 

Geralmente uma pessoa é responsável por incentivar e anotar tudo que é posto em pauta.


C

Cabotagem

É o processo de navegação entre portos marítimos ou fluviais de um mesmo país, diferente da navegação de longo curso, onde são comuns atividades entre nações. Na cabotagem, não se perde a vista da costa.

Cadeia de Suprimentos

A Cadeia de Suprimentos ou Supply Chain , consiste em todas as partes envolvidas – direta ou indiretamente – na confecção de um produto, até sua chegada nas mãos do cliente.

Tudo que está relacionado ao produto, desde sua confecção – tendo origem ainda no recolhimento da matéria-prima – até chegar nas mãos do cliente como um produto, de fato, faz parte da cadeia de suprimentos. Aqui no Blog você pode conferir mais sobre isso bem aqui.

Calado

É a medida de profundidade em que um navio está submerso na água. Tecnicamente, é a distância da lâmina d’água até a quilha do navio.

Canal de distribuição

São os meios que a empresa utiliza para que um produto chegue até seu destino final: nas mãos do consumidor. Existem três tipos de de canais de distribuição:

  • Canal direto: aqui a empresa é inteiramente responsável por entregar o produto ao consumidor.
  • Canal indireto: a entrega é feita por intermediários (atacadistas, varejistas, distribuidores, etc).
  • Canal híbrido: aqui a empresa tem parceria com intermediários, mas não deixa de assumir o controle em relação ao contato com os clientes.

Cegonheira

Caminhões especializados no transporte de automóveis. São os principais veículos utilizados para o transporte de automóveis 0km em direção às concessionárias ou aos portos de exportação.

Centro de distribuição

Abreviado como CD, é o local utilizado para receber matérias primas, componentes ou produtos já finalizados. Também é daqui que os produtos saem em direção aos pontos de vendas (PDV) ou clientes.

Clamp

Equipamento acoplado às empilhadeiras com o objetivo de tornar o manuseio de determinados objetos mais fácil.

O Clamp de bobinas, por exemplo, age como uma garra que permite ao operador segurar as bobinas com segurança e transportá-las até os paletes.

Cross docking

É um sistema de distribuição onde o produto que foi comprado pelo cliente é despachado para um centro de distribuição ou para uma instalação (armazém).

Nesse centro de distribuição/armazém, a mercadoria é expedida para o consumidor final de forma imediata, ou seja, acontece uma redistribuição rápida.

Custo Logístico

Todo tipo de gasto relacionado à logística de uma empresa é chamado de custo logístico. Embora a logística muito tenha a ver com o transporte da mercadoria até chegar nas mãos do cliente, os custos logísticos envolvem muito mais que isso:

  • Gastos com embalagem;
  • Gastos com armazenagem;
  • Gastos com mão de obra;
  • Tarifas e impostos;
  • Custos com tecnologias que melhorem a produção.

D

DANFE

É uma representação simplificada da nota fiscal eletrônica, impressa em papel comum e de via única, usada para fins de fiscalização de transporte de mercadorias. Sua versão eletrônica é o próprio documento, conhecido como NF-e, em formato XML.

Diárias de Transporte

São as taxas impostas pela Legislação, referentes aos atrasos das entregas de produtos, seja pelo embarcador ou destinatário. Nesse caso o motorista é remunerado pela sua permanência enquanto aguarda no local.

O tempo máximo para operações de carga e descarga hoje em dia tem uma tolerância de 5 horas a partir do momento em que o motorista chega no destino de coleta/descarga.

Distribuição física

A distribuição física está ligada à movimentação do produto, enquanto o canal de distribuição é a intermediação do produto.

A distribuição envolve as operações de transporte e entrega com o objetivo de alimentar os pontos de venda e outros canais, após o processo de produção.

Dock Scheduling

É o Sistema de Agendamento voltado para docas. Nele, sua operação de carga e descarga é mais prática, eliminando filas de caminhões do lado de fora do pátio e dando uma visão mais assertiva em tempo real, para o gestor e responsáveis pelo gerenciamento das docas.

A Trackage possui o Trackage Agendamento, com esse mesmo propósito. Nele, as operações de carga e descarga se tornam algo prático de resolver e garante uma economia de tempo enorme entre as operações.

Drop size

É a quantidade que o fornecedor entrega para cada cliente, ou a quantidade total vendida dividida pelo número de entregas realizadas.

Para encontrar o Drop Size, de forma simplificada, nós temos que dividir o peso ou volume pela quantidade de entrega.

Distribution Requirements Planning – DRP

O DRP (ou em português, Planejamento de Distribuição) auxilia na distribuição de produtos de forma eficiente, facilitando a relação entre centros de distribuição e pontos de venda. 

A ferramenta tem o objetivo de facilitar o equilíbrio entre o consumo e a armazenagem, evitando rupturas, excessos de mercadorias e retirando a necessidade de fazer promoções para queimar estoques e com isso, reduzir sua margem.

Dumping

É quando empresas vendem um produto ou serviço por um valor extremamente abaixo do mercado, com objetivo de eliminar concorrentes e pegar uma fatia maior do mercado em que estão inseridos.


E

Efeito chicote

É quando existe uma diferença entre o que foi previsto e as reais demandas dos consumidores, gerando gargalos.

Fatores que contribuem para que isso aconteça:

  • Variações de preço: geralmente quando varejistas fazem muitas promoções e aplicam muitos descontos, essa informação deturpada causa um desequilíbrio na produção, já que gera um aumento de consumo durante um período de tempo específico que não reflete com precisão na rotina.
  • Produtos em excesso: outro fator que ocorre por conta dos varejistas que às vezes, com medo de que um produto fique escasso, fazem pedidos bem maiores do que o comum.

    Como resultado, tendem a não fazer novos pedidos por um período de tempo, enquanto a indústria acaba ficando com o excesso do que foi fabricado pela informação gerada com a última demanda.

Empilhadeira

Uma máquina usada para – como o nome sugere – empilhar paletes, transportar mercadorias de um ponto a outro dentro do espaço de armazenamento e auxiliar na organização dos produtos.

Existem diversos modelos, mas os mais comuns em centros de distribuição e galpões são as elétricas e de combustão a gás.

Para operar uma empilhadeira o operador deve obter a certificação NR-11.

ERP

Já falamos aqui no Blog com mais informações sobre o uso do ERP, caso queira conferir. Basicamente é um Sistema de Gestão Empresarial que centraliza todas as informações de todos os departamentos da empresa em um só lugar.

Essa integração entre várias áreas facilita a tomada de decisão e torna muito mais prático e rápido localizar dados necessários para aquele momento específico.

Isso deixa todo o fluxo logístico mais orgânico, fazendo com que tudo funcione em conjunto.

Estocagem

Estoque, ou estocagem, é o serviço usado para guardar matérias-primas e produtos semiacabados ou até mesmo mercadorias prontas para o consumo. 

É comum e presente em diversas atividades, desde o varejo até a indústria.

Estoque

São as mercadorias e produtos, estejam prontos ou inacabados, que uma empresa possui armazenados em um determinado local. 

Também pode incluir materiais e suprimentos para a produção do seu produto, não se limitando apenas ao produto em si.

Estoque em trânsito

São os produtos adquiridos pela empresa, isto é, já comprados, mas que ainda estão em trânsito para serem entregues e armazenados na estocagem.

Mesmo que ainda não tenham chegado, já são considerados parte do estoque. Também conhecido como estoque de canal.


F

FIFO

A sigla FIFO vem do inglês e representa a expressão “First In, First Out” (em tradução livre, “primeiro a entrar, primeiro a sair”).

É um método de gestão e avaliação de ativos na logística empresarial, onde os ativos produzidos ou adquiridos primeiro, também são os primeiros a serem vendidos ou usados.

Frete

Frete é o preço que se paga pelo uso ou pela locação de embarcação ou qualquer outro meio de transporte pertencente a outro.

Esse preço depende do tipo de carga, do modo de transporte, do peso e do volume da carga e da distância a ser percorrida até o ponto de entrega da carga.


G

Gargalo

Um gargalo é um ponto onde a linha de produção “trava”, fazendo com que as tarefas não aconteçam conforme o esperado. 

Ele impede a continuidade da produção, ou faz com que ela aconteça em uma velocidade muito baixa.

Gestão

Ou seja, é o ato de administrar ou gerir negócios, pessoas ou recursos, com o objetivo de alcançar metas definidas.

Gestão ou administração é algo que pode ser aplicado em qualquer área de atuação, desde a logística de pátio até a área financeira.

Gestão de Pátio

A gestão de pátio é a administração e o controle de tudo que envolve as atividades dentro de um pátio logístico.

As atividades de carga e descarga de mercadorias, a organização dos locais usados para armazenamento de materiais e até mesmo o transporte dos produtos estão ligados à gestão de pátio. 

Giro de estoque

Indicador usado para verificar o desempenho de um estoque na empresa. 

Indica também a qualidade dos produtos armazenados e a quantidade vendida dentro de um período de tempo. Os dados servem ainda para avaliar a saúde financeira do negócio. Isso pode ser feito de forma muito mais prática com o auxílio de um WMS.


L

Last Mile

É a entrega de última milha

Consiste na última etapa de transporte e entrega de uma mercadoria até as mãos do cliente. É importante em vários segmentos, principalmente no e-commerce, já que implica diretamente no relacionamento com o cliente.

Embora pareça simples, é uma etapa delicada, pois são várias as situações que podem impactar diretamente a operação e o cumprimento dos prazos. 

A falta de motoristas, o trânsito travado, a chuva e o roubo de cargas são situações que podem atrapalhar esta etapa e, consequentemente, a experiência final do cliente.

LMS – Learning Management System 

LMS ou Sistema de Gestão de Aprendizado é uma ferramenta utilizada por muitas empresas na área de recursos humanos, formação e educação continuada da sua força de trabalho.

Como várias inovações de tecnologia da informação nas últimas décadas, o Learning Management System é capaz de elevar a eficiência de sistemas de aprendizagem de uma organização.

Logística

A logística envolve muitas atividades, mas seu conceito se baseia em dois principais processos: 

  • armazenamento  
  • transporte de mercadorias.

Ela tem como objetivo garantir que matérias primas ou mercadorias sejam entregues do ponto de origem ao ponto final.

Dentro desses processos, temos várias atividades que contribuem para que o trabalho seja feito de maneira eficiente. 

No transporte, por exemplo, temos a documentação, carregamento dos veículos, entre outros. 

Já no armazenamento, temos o controle de estoque e as tecnologias usadas para isso. As notas de entrega que acompanham cada pedido, e vários outros que formam o processo.

Logística Inbound

Também conhecida como logística de abastecimento, ela tem como foco o planejamento e a gestão dos suprimentos, matérias-primas e mercadorias utilizadas para manter os recursos da empresa.

Garante que não falte materiais, controlando seu armazenamento e transporte. O responsável por essa área precisa manter uma relação próxima com os fornecedores, além de gerenciar o recebimento de cargas.

Logística Outbound

Logística de distribuição ou Outbound é a responsável pelo planejamento de entregas e saída de produtos para os centros de distribuição.

Nessa divisão, entram funções como a criação de rotas de entrega, rastreamento de entregas, contratação de motoristas e gestão de transportadoras.

A supervisão da carga e descarga além da reposição do estoque também entram aqui.


M

Manifesto de Carga

Desde 2016, a Legislação determina que o documento de Manifesto de Carga é obrigatório nos transportes de mercadorias.

Ele reúne as principais informações de dois documentos importantes: o Conhecimento de Transporte eletrônico (CTe) e a Nota Fiscal eletrônica (NFe), sendo aplicado somente em ambiente digital, isto é, pela internet.


T

TMS

Podemos definir o TMS como o software de gestão e organização dos transportes, suprindo todas as necessidades associadas a eles.

Por isso, o sistema de gestão de transportes é fundamental para que a operação tenha êxito para trazer e levar cargas do ambiente interno da empresa para os pontos de distribuição e vice-versa.


W

WMS – Warehouse Management System 

O Sistema de Gerenciamento de Armazéns melhora a gestão e controle das tarefas a serem desempenhadas pela equipe, fazendo com que toda a operação seja melhor aproveitada, gerando mais economia de tempo e de recursos.

Nos sistemas mais atuais, ocorre uma grande flexibilidade. As empresas conseguem adaptá-los às suas mudanças de estoque, adotando um jeito próprio de gerenciá-lo.


Y

YMS -Yard Management System

Em português, YMS significa: Sistema de Gerenciamento de Pátio. Uma solução digital criada para empresas que precisam modernizar o monitoramento do setor logístico.

É utilizado por indústrias de diversos segmentos, por ser um modelo de gerenciamento que consegue se adaptar a diferentes setores e necessidades de mercado.Na prática, o YMS atua especificamente na gestão de pátio e dá ao gestor uma visão completa de toda a movimentação desde a chegada de um veículo na portaria (check in) até a sua liberação (checkout).


Leia também

O que é Logística e como otimizar a performance com um YMS

O que é Supply Chain, como funciona e boas práticas

Deixe um comentário